Camara de Anastácio |

À polícia, professora suspeita de maus-tratos contra crianças diz que apenas ‘agiu com mais força’

  • Polícia [Notícias]
  • 18/05/2022 às 16:36hr

Em depoimento à polícia, a professora investigada por maus-tratos contra crianças negou que agrediu os alunos, em uma escola particular de Campo Grande. Para as autoridades, ela disse que apenas “agiu com mais força” ao fazer crianças sentarem. Contudo, está sendo periciado imagens de câmeras de segurança e um vídeo em que a professora aparece puxando o cabelo de uma aluna.

O caso segue sob investigação na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA). Os responsáveis por cinco alunos procuraram as autoridades para denunciar maus-tratos.

As crianças foram ouvidas em depoimentos especiais, acompanhadas por psicólogos. Em dois dos casos, de crianças de 3 e 4 anos, há indícios de que elas foram vítimas de maus-tratos. Os outros três permanecem sob investigação.

De acordo com a delegada que acompanha o caso, Fernanda Mendes, funcionários da escola particular devem prestar depoimentos nos próximos dias. Por esta razão, mais detalhes da investigação ainda seguirão sob sigilo.

O advogado da suspeita foi procurado pela reportagem, mas devido ao sigilo do caso preferiu não se pronunciar.

Confira a seguir a nota do escola na íntegra.

A escola de educação infantil que vem sendo citada em supostos atos de violência, que teriam sido praticados por uma de suas professoras, esclarece: ao tomar conhecimento da formalização da denúncia, imediatamente afastou a funcionária de suas atividades escolares.

A instituição de ensino está colaborando com as investigações, bem como oferecendo todo o suporte necessário aos pais e alunos.

A escola reafirma o compromisso de cuidar dos seus alunos, oferecer ensino de excelência e zelar sempre pela segurança de todos. Toda a estrutura é monitorada por sistema de câmeras e livre acesso concedido aos respectivos pais.

Por fim, reitera que vem tomando todas as medidas necessárias, e colaborando junto às autoridades policiais para o total esclarecimento dos fatos.



  • Fonte: G1 MS

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Governo - Dengue |
Sanesul |